.::Calendário::.



.::Relógio::.



.::Histórico::.


.::On Line::.



.::Contador::.


.::Presentinhos::.


.::Layout by::.


.::Etc::.



Gosto de gente que sabe ser gente que chora, que ri, que se diverte  e que habita na imensidão de ser. Que bebe goles de sensatez mas se embriaga com doses extras de felicidade extravagante. Os seres abastados de sentimentos bonitos e que carregam consigo paraísos internos me parecem valer a pena descobrir.


Gosto de gente para admirar, tocar e amar, que abriga qualidades mas mostra-se imperfeita, frágil e com defeitos. Me encantam os que sabem me receber quando cruzo seu caminho, que me convidam não só pro seu mundo mas topam desbravar pelo meu.


Dou preferência aos que me amam apesar da minhas melancolias, dramas, crises existências e medos. Os que comemoram comigo nas pequenas e grandes alegrias mas que sabem me transmitir paz num dia mau. Gosto dos questionadores, dos que divagam, dos que permanecem comigo por anos e que me fascinam na simplicidade do existir.


Gosto dos ares, dos arredores, de novos rostos, de outras civilizações, da diversidade do mundo e ao mesmo tempo da sua mesmice. Gosto do fato de sermos seres tão parecidos e ao mesmo tempo únicos, do quanto essa exclusividade pode completar a vida do outro com qualidades e defeitos que só existem em nós.


Necessários são os que apesar de tudo continuam na minha vida. Apesar dos quilômetros, das horas, das tempestades e oposições. Apesar dos medos, coragens e confusões. Preciso de gente que vá além das palavras, com quem eu possa contar apesar de uma fase difícil, apesar dos anos de distância.


Preciso de pessoas que me amem na riqueza, na pobreza, na saúde e na doença. Que sejam amigas, sejam amores, sejam parceiras. Que deem valor ao que foi dito como se estivesse registrado e escrito. Prefiro as que me doam intensidade, alegria e contribuam na insanidade de viver. Preciso de verdade não de fingimento.


O resto é excesso. A outra parte eu dispenso .
Natan Gaia


Postado por Petalas às 11h41
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Postado por Petalas às 16h28
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Summer Comes

 


Postado por Petalas às 16h20
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]




DELETANDO ARQUIVOS...
Anna Paes

Hoje abri o baú de recordações e notei que guardava coisas demais ali.
Folheei cada página, li e reli...
Foi um grande amor o nosso.
Feito de carinhos e ternuras...
Parece-me que tudo tem um fim mesmo...
Não fiquei conectada,
folheava guardados em CDs antigos...
Já empoeirados pelo tempo.
Mais de sete mil cartas de amor....
Poemas e pensamentos,
flores, brisas, borboletas...
Li um bilhetinho seu
onde dizia, te amo, sabia?
E chorei ao reler ...
Entreguei-me as emoções
mais puras, mais intimas.
Deixei que por minhas narinas
entrasse o seu perfume real...
Senti seus beijos...Seus abraços...
Tudo real.
E entre o real e o virtual...
Fiquei horas ali.
Sentia cada palavra como se fosse
a primeira vez que lia...
Resolvi, num ímpeto, ir tirando tudo de meu baú....
Fui deletando cada palavra, cada sentimento
guardado e exposto ali,
em forma de poesia...
Com os arquivos eu poderia fazer isso,
mas e com nosso amor real?
O que faria?
"Como se fosse possível
apagar da lembrança, tais feitos."
"Como se fosse permitido à mente,
apagar tudo, queimar neurônios."
Ah! Recordei o quanto lhe fui fiel...
...Como dava bom dia todos os dias,
alguns até se transformaram em poesia.


Revi nossas fotos...
Abri as gavetas do meu coração
e nelas deixei guardado para sempre
o amor que sonhei e por breve momentos tive.
Eram promessas loucas de amor..
Sem Jura's ou com Jura's?
Não sei mais dizer....
Eram palavras que entravam na alma,
que me faziam cada dia mais te amar..
Você foi me conquistando, me ganhando...e
Apaixonei-me.
E, vivemos intensamente
um amor louco e desvairado.

Não o culpo e nem a mim...
Culpo talvez ao destino
que não nos deseja juntos ainda..
Mas, sei que como comigo aconteceu,
acontecerá outras vezes
com outras pessoas.
........

Fui deletando cada palavra...
cada sentimento... cada lagrima...
cada saudade... cada dia
que você aos poucos foi me ganhando...
E, depois cada minuto
em que você e eu
fomos deixando de nos amar.
Só a nossa realidade, não consigo deletar.

Talvez eu ainda termine de deletar...
Boa noite...

11 de junho de 2003 -DF


Postado por Petalas às 19h57
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]





Meu corpo  sem movimento...
Meu pensamento vagando por aí...

Quando o coração já não suportar a saudade...
Quando os dias parecerem sombrios...
Quando as noites estiverem muito frias...
E, o luar já não brilhar no seu céu...
Chama-me...
 
DUETO ...
 
Ainda penso em estar acariciando você por inteira.
Nem se preocupe, não vou pedi-la em casamento.
Ao contrário senso, quero ser seu alimento.
Quero minguar-me em suas ânsias por carinho.
Ser como a caneta tinteiro, esvair-me por inteiro.
Afinal, estamos em um planeta de,
pequenas trocas de abraços,
olhares e beijos que produzem
Duplos e enormes orgasmos.
Com gigantescos espasmos.
 
Contrito, irrestrito, e indefinido
em suas magníficas mãos.
A lágrima que rolar de
meu desfigurado rosto
será o meu gozo angelical.
E, absurdamente incongruente,
indecente, mas nunca indiferente
 
Audha Abuthay 
 

Postado por Petalas às 14h04
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Vesti-me de Ti
Anna Paes

Teu adeus  cobriu-me a nudez da saudade
Vestimenta molhada de lágrimas, pesada
Impedia-me o caminhar flagelado

Esqueci-me de mim!
Carregava teu olhar sobre meus ombros
Teus beijos em meus lábios
Tuas palavras sobre o coração, oprimiam-me

Um adeus!?

Pensamento inconformado, dor dilacerante!
Onde foi parar o cordão que nos unia?
Virou  cetim, vestiu-me para um  festim fúnebre!
27/09/2010
Brasília - DF

Postado por Petalas às 14h02
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Teia!
Ju Paes

Tento nesta vida uma teia armar
Com suaves  linhas tecidas com fios de seda
Para te abrigar no seio
Qual  Dama Negra
Dona do fio
Que tece teu ninho.

Para cada vida, uma teia diferente
O que difere, no entanto, são os tons da urdidura
O matiz do caminho
É nevoa, sombra, seda
Depende de cada um.


Postado por Petalas às 13h55
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]




tenho mania - de você
Anna Paes


(quando pedi seu sorriso/embriaguei-me/
 violentei-me ao descobrir que não era

meu)
 

 

tenho mania - de você
 
pedi-lhe um sorriso
 
Sorriso cheio e alegre
saltou de seus lábios.
- momento
- desejo
 
Penumbra
que encobria:
mentira
viuvez
precoce
 
sentimento morto
sem nunca ter vivido.


Postado por Petalas às 13h53
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]




  MINHAS CRÍTICAS

Tem Anna, em si, poética grandeza,
Que, ao nosso coração, traz só encantos,
Como flores se abrindo, pois seus cantos
São essências de amor e de beleza.

Seus versos - quais sorrisos de criança -
(cheios de engenho, de cultura e arte)
Hão de levar, eu sei, por toda a parte,
O amor, a paz, o sonho e a esperança.

"APENAS PÉTALAS" - que nome lindo,
 Para um trabalho que, daqui, eu brindo,
 Com uma taça de admiração.

 Porque toda certeza tenho eu,
 Que cada verso neste livro seu,
 Saiu do fundo do seu coração.

(Para Anna Paes)
                    Sá de Freitas
 
MINHA HOMENAGEM


Quanta grandeza existe em tua alma,
Ah!Anna Paes, minha querida amiga...
O que escreves traz-nos a cantiga,
Do amor, da fé, que nos envolve e acalma.

Tuas formatações são diademas,
Que enriquecem tudo o que  escrevemos...
E a cada dia mais grandeza vemos,
Nesse  teu caminhar entre os poemas.

Louvo-te a arte e a sensibilidade,
Louvo tua grandeza e humildade,
Louvo tua bondade que se expande.

Por isso, agora, em aplausos, me levanto,
Em homenagem a ti que estimo tanto,
Para que todos saibam o quanto és grande.

                                          Sá de Freitas




Sua Alma, Anna Paes
Sá de Freitas

Sua alma é uma fonte pura de poesias,
Que amena corre num jardim de encantos;
A espalhar os mais divinos cantos,
De amor, ternura, paz e fantasias.

E qual estrela a sua inspiração,
Nos ilumina sempre em noites escuras,
Quando tateamos, cheios de amarguras,
Na escuridão cruel da solidão.

Seus versos são promessas de esperança,
Num amanhã melhor, numa mudança,
Que hão de vir aos que possuem amor.

São músicas que encantam a nossa alma;
São orações que induzem-nos à calma;
São lenitivos para a nossa dor.

Sá de Freitas


Postado por Petalas às 19h45
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Deixa-me
Anna Paes


Deixa-me morrer
 fria de sentimentos,
Deixa-me morrer triste e vazia.

Deixa-me seguir além de meus vãos pensamentos ,
que me transforme em casulo e,
refeita estarei.

Não mais temerei o amor...
Um novo sol brilhará em meu ser.
Nova lua cantará em meus anoiteceres.

Que se extinga o brilho em meus olhos
De um amor que fugiu
Seguiu!

(um amor que seguiu os encantos das luzes
que se desfez em prantos pela noite sangrenta
de um coração de novo apaixonado,
mas vazio de emoção por hoje.

Deixa-me verter esta lágrima de saudade,
e  fria de sentimentos.
(Morta...Fria de amor.)

Cada palavra, cada som,
cada gesto, cada figura - tudo re(vive)! -
e como deixar viver ou morrer?

O que fazer?
Deixa-me morrer!
 de amor ou por amor,
mas deixa-me morrer, por favor.

Brasília 2002_08


Postado por Petalas às 13h00
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Boa Noite, Amor!

Naufragam-se as esperanças de dias melhores
Engolem-nos as espumas salgadas da ira...
Violência, discórdias uma atrás da outra.
Para onde nos levarão?
Ninguém detém a resposta

É culpa deste, daquele.
A culpa é nossa!
Permitimos!

Não somos capazes de tomar decisões sérias
em benefício do próximo
Aliás, preferimos  aniquilar o próximo mais próximo
Ao cruzarmos os braços.

Ação!
É a ordem
 do dia
da hora
Do coração
A Alma pede  Paz
O Povo pede Paz
Os Animais pedem Paz
Salvem !Acudam!Resgatem!
Suas Almas, seus corpos
Sua Mente!
Vamos tomar atitudes
Salvar o Planeta
Matar a fome  do vizinho
De comida
De fé
De  carência afetiva
Dar as mãos!
Velhos, crianças, jovens!
Todos.

Anna Paes
Brasilia 23/10/2008
18hs22


Postado por Petalas às 22h16
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Braços, abraços
Anna Paes

agora poeta, poeta
                 poeta tua dor de amor.
quando no mar estivermos
                           quero o mais doce verso
            um olhar, um abraço..
talvez um beijo
            e vou embora.
se acaso sentires saudade,
           sopra na lua
cairei poeira
em teus braços abraços

Anna Paes
Brasília - 18/10/2008
20hs02


Postado por Petalas às 22h16
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Boa noite, Amor

...mas qdo digo que te amo,
eu nao quero dizer com isto
 que te amo...
eu quero dizer que te amo e só.

Sem mar, sem ar,
sufocando assim...
(um sentimento)

Sem sol e nem luar
Abandonada em mim mesma
Pelo muito que me amo
Mais que a ti.
Anna Paes

DF-Brasília - 22/10/08


Postado por Petalas às 22h16
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Chuva de lágrimas
Anna Paes

Chorou o céu
Por mim, por ti

Olhos marejados
Despedi-me de ti

Anna Paes
Brasília 20/10/2008
22h01


Postado por Petalas às 22h15
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Noite de Lua
Anna Paes

Sem chuva
                      Brilha no céu
A Lua
                Tão nua

E eu a vagar
                          Perdida no infinito
Do brilho dos olhos
       Teus

Anna Paes
15/10/2008


Postado por Petalas às 22h15
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]






ver mensagens anteriores
.::Sobre Mim::.




Meu Perfil
BRASIL , Centro-Oeste, BRASILIA, Mulher , de 46 a 55 anos


.::Link Especial::.


.::Amigos::.


.::E-Books::.
E-books editados pela AVBL
Anna Paes


.::Link-me::.





.::Meu Award::.





.::Recadinhos::.



.::Música::.